quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Aveiro na Perspectiva de um Invisual

Viva a todos,


No sábado dia 4 de Outubro do corrente, sábado que no tempo já ao passado pertence, mas que dentro de mim ainda é presente, tive a dádiva de percorrer, calmo e solto, de descrição em descrição, caminhos de arte, luz e história da terra da qual sou natural, Aveiro, pois está, tendo como estrelas-guia bons amigos e a ria, velha senhora de agora e sempre. Como pessoa cega, o meu coração ( e também a alma) pôde, alegre, deleitar-se com os cenários mil que me foram dados pelo alcance do sensitivo e competente olhar dos ousados e talentosos profissionais dum tal de O Cicerone, tudo isto numa rota-sonho à beira-mar.


Nos caminhos, passo a passo, entranhei José Estêvão, João Afonso, Manuel Firmino e Antónia Rodrigues, a heroína de Mazagão; toquei arquitecturas (Arte Nova, nova arte, pois aprendi a rejeitar a linha recta); e respirei sal, provando brisa marinha.

Tanta história!... Tanto mar!... Tempos idos que vieram e aqui estão numa rota de luz duma estrela tecida em fios de sal, viagem e ria, uma maresia de sol que pelas mãos do O Cicerone bem pode ser chamada de... Aveiro.


Cumprimentos de um amigo aveirence!!!


Abraços e beijos com cheirinho a mar.


Nelson Lopes


Saber mais em: O Cicerone - Actividades Turísticas, Lda.

T: 91 485 45 95 e-mail: geral@o-cicerone-tour.com

1 comentário:

Cati disse...

Achei a vossa iniciativa deveras interessante. Pena não ter podido participar, mas tenho a certeza que mais oportunidades surgirão.
Gostei imenso deste depoimento e tal como o Nelson teve esta experiencia, espero que muitos mais consigam aproveitar e absorver as qualidades dos locais que O Cicerone tem para oferecer.
Beijinhos